A saúde intestinal tem um impacto muito grande na nossa saúde. Seja na gestão do nosso peso, do nosso humor ou na forma como metabolizamos os alimentos, portanto, existe uma relação muito grande entre a saúde digestiva, de uma forma geral, e a saúde intestinal.

A nossa mucosa intestinal está colonizada por mais de 1000 estirpes bacterianas, sendo elas maioritariamente firmicutes (64%) e bacterioides (23%). A quantidade e a proporção destas bactérias variam de pessoa para pessoa, ao longo da vida e consoante vários fatores, como o tipo de parto, como o tipo de alimentação, antibioterapia frequente, etc. A microbiota intestinal influência grandemente a saúde do intestino, tendo um papel muito importante na imunidade.

A microbiota tem uma ação a diferentes níveis, acabando por influenciar a produção de vitaminas do complexo B e K, a maturação da imunidade da mucosa intestinal e a própria transformação dos nutrientes. Regula os níveis de leptina circulante, intervém no armazenamento de gordura e na regulação do peso corporal. Também atua na progressão tumoral e modula o desenvolvimento do sistema nervoso central. Aumenta a resistência a microrganismos patogénicos e modula o sistema imunitário através da alteração de fatores inflamatórios.

Quando há um desequilíbrio da flora intestinal comensal, dá-se uma disbiose. Esta desregulação manifesta-se no nosso organismo de maneiras diferentes de pessoa para pessoa, mas os sintomas costumam incluir flatulência intensa, dores abdominais ou nas articulações, inchaço abdominal, podendo indicar que há uma inflamação a nível intestinal. Esta desregulação da microbiota pode também resultar em carências nutricionais uma vez que havendo um estado inflamatório, a absorção de nutrientes ficará inevitavelmente afetada.

A disbiose pode estar na génese de doenças gastrointestinais, doenças cardiovasculares, obesidade, ou até mesmo patologias do foro neurológico.

A saúde do intestino, de uma forma geral reflete-se não só no trânsito intestinal, mas também na nossa pele (acne/irritação sobretudo no queixo e testa ou junto às virilhas/borbulhas na zona posterior do braço) e no nosso cansaço.

A alimentação tem, assim, um papel fundamental no equilíbrio da nossa microbiota intestinal porque esta alimenta-se daquilo que lhe damos.

Recomendo, por isso, a ingestão de pelo menos 30g de fibra por dia, presentes nas frutas, cereais, legumes e leguminosas, e para um ajuda mais personalizada recomendo claro que consulte um nutricionista.

Estou sempre disponível para ajudar no estúdio Personal20 Odivelas 😉

 

Dr.ª Inês Valente – Nutricionista

917 027 480

R. Antero de Quental 60

2675-690 Odivelas

Personal 20 Odivelas - R. Antero de Quental 60, 2675-690 Odivelas

Pin It on Pinterest

Share This