fbpx

Já há muito tempo que sentia um amor platónico pelo Yoga mas era apenas isso, um amor à distância com o qual não me envolvia.

Costumava ficar completamente apaixonada e surpreendida com as capacidades e habilidades quase sobrenaturais dos Yoguis e questionava-me muitas vezes: “Que força física e espiritual é esta que se superioriza à natureza? Será que algum dia conseguirei ser assim? E para ser assim o que é que preciso fazer e que mudanças são necessárias acontecerem em mim?”.

Bem, algumas respostas chegaram o ano passado quando soube que iria fazer parte de um projeto chamado Personal20 Odivelas – Premium Fitness Studio – e que dentro das minhas responsabilidades técnicas uma delas seria dar aulas de Hatha Yoga Funcional. Este desafio exigia investimento em formação técnica e especializada e também alguns “sacrifícios”, sobretudo familiares. No entanto, o entusiasmo que sentia por finalmente começar a conectar-me ao Yoga era tão grande que, após uma breve reflexão, decidi receber o desafio de braços abertos.

Identifiquei-me imediatamente com a visão desta prática. Uma visão sustentada no respeito anátomo-fisiológico, na qual em cada postura são respeitados os alinhamentos biomecânicos, articulares, ósseos e musculares. Enquanto técnica de exercício, a minha prioridade é proporcionar aos meus alunos uma prática segura, saudável e consciente.

Os benefícios físicos da prática de Hatha Yoga são inúmeros, desde o aumento da força e resistência musculares, ao aumento da flexibilidade, à perda de peso, até ao saudável funcionamento de todos os sistemas do corpo humano, todavia não posso deixar de enaltecer a sinergia que é criada entre mente e corpo ao longo de toda a prática. A forma como o corpo é utilizado para manter a mente concentrada e a forma como se cria uma disciplina física e mental, que se transfere para o dia a dia, é único nesta modalidade.

O Yoga é uma atividade de auto-cuidado, de auto-consciência, que ensina a trabalhar a dimensão física e emocional. Através do Yoga é possível treinar o focar da mente, conseguindo acalmar o fluxo de pensamentos e criar a capacidade de auto-observação e auto-diálogo. O Yoga é uma metodologia que ensina a viver o momento presente e eu identifico-me com a mesma.

É também uma filosofia que se rege por 8 princípios que são chamados de 8 Ashtangas.

Os Yamas e os Nyamas que são condutas morais e pessoais criadas para nos relacionarmos de forma harmoniosa connosco, com os outros e com o Universo. As Ásanas, que são posturas desenvolvidas para equilibrar todo o funcionamento do organismo. Pranayamas, que correspondem ao controlo da respiração. Pratyahara, que é a abstração do que não necessita da nossa atenção. Dharana, que é a concentração do pensamento e da energia. Dhyana, o estado meditativo e, por último, o Samadhi que significa iluminação.

É, e foi, muito fácil identificar-me com estes valores e acredito que para si também mesmo que ainda não seja praticante de Yoga. De quaquer modo, de todos os ashtangas, Dhyana é sem dúvida o meu favorito 😉.

Ao longo deste meu caminho pelo Yoga, que ainda é curto, algumas das minhas questões já foram respondidas. Sei que não quero ser uma mestre de Yoga que levita enquanto medita. Fazer acrobacias e contorcionismo, mesmo perdendo a oportunidade de trabalhar no Cirque du Soleil, também não é o meu objetivo.

Acredito profundamente que, através do Yoga, me tornarei um ser humano harmonioso física e espiritualmente, em equilíbrio comigo mesma, com os outros e com o Universo.

Namasté 

Diana Valente – PT & Instrutora

917 027 480

R. Antero de Quental 60

2675-690 Odivelas

Personal 20 Odivelas - R. Antero de Quental 60, 2675-690 Odivelas

Pin It on Pinterest

Share This