fbpx

Será possível sermos felizes apesar dos constantes desafios que a vida nos vai trazendo?
Podemos nós alcançar a felicidade mediante uma situação de desemprego, morte de um familiar ou amigo, separação conjugal, entre outros?
Será a felicidade algo apenas reservado a monges budistas, pessoas ricas, gurus do yoga, pessoas “iluminadas”?
Não. Segundo o que vai aqui ler, a felicidade é algo que está ao alcance de qualquer um, independentemente da sua condição financeira, saúde, emprego ou relacionamento amoroso.
Mas, se assim é, porque parece ser tão dificil isto de sermos constantemente felizes? E o que traz a felicidade à nossa vida?
Este é um tema que me desperta cada vez mais curiosidade e interesse e o que lhe trago aqui são apenas algumas dicas e conceitos sobre a felicidade, baseados em grande parte num livro que li há alguns anos – “Uma Viagem Espiritual”, de Billy Mills e Nicholas Sparks. O resumo de uma história baseada na cultura dos Índios Lakota, onde um jovem índio inícia uma viagem à procura de respostas para encontrar a felicidade após a morte da sua jovem irmã.
Há inúmeros livros, artigos e conceitos sobre a felicidade. Este é um deles. Se o que vai ler aqui, fizer sentido para si e o ajudar a ser um pouco mais feliz, então a minha missão será bem sucedida 

1 – O QUE FAZ A FELICIDADE POR NÓS E PELA NOSSA VIDA?
Precisamos de começar por perceber que a felicidade depende única e exclusivamente de nós próprios, independentemente da situação em que nos encontremos. Então, existem oito mitos ligados à ideia de felicidade que precisamos de perceber:
1- Se eu fosse rico, então seria feliz;
2- Se eu fosse famoso, então seria feliz;
3- Se eu encontrasse a pessoa certa para me casar, então seria feliz;
4- Se eu tivesse mais amigos então seria feliz;
5- Se eu fosse mais belo, então seria feliz;
6- Se não tivesse qualquer deficiência física, então seria feliz;
7- Se não me tivesse morrido um ente querido então seria feliz;
8- Se o mundo fosse um lugar melhor então seria feliz.

Apesar de todas estas situações poderem ajudar-nos a sermos mais felizes, é importante transmitir que a minha felicidade não pode depender das mesmas. Há que saber ser feliz mesmo que não tenha toda a saúde do mundo ou dinheiro para viajar. Como?
Existe todo um trabalho interno a ser feito para chegar ao entendimento do verdadeiro conceito de felicidade.
“Temos de perceber o significado da felicidade antes de sermos felizes. Tal como numa viagem, não chegaremos ao fim se não soubermos para onde vamos. A felicidade, embora mal interpretada pela maioria das pessoas, não é algo que seja difícil de incluír na nossa vida. Uma vez compreendido o que ela é, seremos capazes de melhorar todos os aspetos da nossa vida!”

Aspetos a ter em conta:
1- A felicidade é uma emoção que nos faz sentir de determinada maneira; é importante perceber o modo como nos sentimos e quando somos felizes;
2- A felicidade é um sentimento que vem de dentro de cada um de nós e é algo que cabe a cada um controlar; a ninguém se pode atribuir o mérito de nos fazer felizes;
3- A felicidade não está dependente de acontecimentos externos;
4- É preciso aprender a ser feliz;
5- Temos de desejar a felicidade;
6- A felicidade pode ser um sentimento permanente na nossa vida.

Da mesma forma que é importante não sentir desespero ou infelicidade, pois não só não resolve os nossos problemas como pode, aliás, criar ainda mais problemas, afastar os nossos amigos ou destruir a nossa vida, também é importante perceber porque a felicidade deve ser uma constante na nossa vida.
Somos mais felizes quando…

  • nos sentimos bem;
  • sentimos alegria, paz, ânimo e satisfação;
  • gostamos do que somos e do que fazemos;
  • as pessoas gostam de estar connosco;
  • temos uma autoestima mais elevada;
  • a nossa vida física melhora, temos mais saúde e energia;
  • conseguimos resolver mais facilmente os problemas que possam surgir;
  • se verifica uma melhoria em todos os aspetos da nossa vida!

 

2- RESPEITAR OS CICLOS DA VIDA
Independentemente do livro ou artigo que leia sobre este tema, há uma unanimidade quase transversal quando se fala em felicidade: Meditação.
São vários os estudos que atribuem grandes benefícios à prática regular da meditação, independentemente do método que utiliza para o fazer.
Segundo Yongey Mingyur Rinpoche, Mestre do Budismo Tibetano, no seu livro “A Alegria de Viver”, desmistifica a ideia de que meditação é algo difícil de alcançar:
“A meditação é na verdade um exercício muito simples de repouso no estado natural da nossa mente presente, permitindo que estejamos simples e claramente presentes para os pensamentos, sensações e emoções que ocorram. Muitas pessoas resistem à ideia de meditação porque a primeira imagem que acorre à mente implica horas e horas sentado direito como um fuso com as pernas cruzadas e uma mente totalmente vazia. Nada disto é necessário.”
Voltando ao nosso livro “Uma viagem espiritual”, falamos em ciclos e na importância de os entender para conseguir a felicidade.
Tudo na vida e no Mundo se resume a ciclos : “Tal como a árvove, nós nascemos. Primeiro somos pequenos, mas se formos tratados como deve ser, transformamo-nos em Homens. Chegados à idade adulta podemos procriar. Cem anos depois morremos. É este o ciclo da nossa vida. Não podemos alterar essa ordem porque faz parte da ordem natural da Mãe Terra (…) a felicidade também tem os seus ciclos”.
A meditação é um dos ciclos mais importantes para conseguir ser mais feliz.
Existem inúmeros métodos de meditação, pode concentrar-se apenas na sua respiração, em sons e músicas, em pensamenos mais ou menos profundos… Talvez o melhor será começar por simplesmente repousar os seus pensamentos na sua respiração, pensar em momentos felizes e deixar-se levar…
Quando terminar um ciclo de meditação, sentir-se-á mais leve, mais feliz.

3- COMO SER MAIS FELIZ?
A nossa felicidade depende, grandemente, da forma como nos olhamos e como olhamos o mundo à nossa volta. Para sermos felizes temos de nos considerar, e ao mundo à nossa volta, como coisas muito especiais (…) A felicidade é um fogo que precisa de ser ateado. Podes meditar e sentires-te bem, mas alcançar a felicidade transcende a tua vida e tudo o que fazes, tens de conduzir a tua vida de acordo com certos princípios.

3.1) Convenço-me de que sou o ser mais especial jamais criado. Sou um ser único neste mundo e possuo características que mais ninguém tem. Sou valioso, como um diamante, sou raro e belo. sei que não devo desperdiçar a minha vida e estou aqui com um objetivo. Estou aqui para crescer em sabedoria. Posso ser feliz se tiver a consciência de que sou o ser mais especial jamais criado.

3.2) Dou apreço ao que a vida me concedeu. Embora não tenha obtido tudo o que desejo, não sinto tristeza porque isso me faz gostar muito mais das coisas que possuo. É o poder da minha mente que me distingue dos animais e de todos os outros seres do mundo. Com ela posso pensar na beleza e no amor. Posso pensar na paz e na realização pessoal. E o que é que possuo? Possuo a vida. Possuo uma grande capacidade para amar. Sou capaz de refletir. Sou capaz de sonhar. Sou capaz de ter esperança, de rezar. Sou capaz de sentir. Sou capaz de respirar. Sou capaz de cheirar. Sou capaz de ver. Sou capaz de andar. Sou capaz de falar. Sou capaz de ajudar. Sou capaz de ser feliz. Obrigado, Vida, por tudo o que me concedeste.

3.3) Encara a tua vida com otimismo e esperança no futuro. Se as coisas estiverem a correr mal, hão-de melhorar, apreciá-las-ei ainda mais. Posso ser otimista em relação a tudo. Acreditarei que acontecerão coisas boas, serei otimista em relação às outras pessoas. O otimismo transformar-se-á num modo de vida para mim e, por consequência, serei feliz.

3.4) Estabelece objetivos novos e com interesse. Irei estabelecer metas que serão o mapa da minha viagem. Permitir-me-ão conduzir a minha vida com confiança e registar os meus progressos em relação ao que quer que seja que eu desejo. Far-me-ão pensar no futuro. Os propósitos diários são importantes assim como as metas a longo prazo. Sei que os objetivos a longo prazo me ajudarão a enfrentar o desânimo que sinto quando não atinjo as minhas metas diárias. Descobrirei que aprendo muito mais com os meus fracassos do que com os meus sucessos. Exatamente como uma árvore leva muitos anos a tornar-se forte, também eu devo tornar-me forte a pouco e pouco. Compreendo e entendo que a letargia é a semente da insatisfação da minha vida. Serei feliz se projetar metas novas e interessantes.

3.5) Vive cada dia como se fosse o último. Darei mais valor a todas as experiências do meu dia. Descobrirei beleza na natureza, direi às pessoas por quem me interesso o quão especiais elas são na minha vida e sorrirei quando vir a sua expressão. Auxiliarei quem precisar de ajuda porque me torna feliz, saber que hoje sou capaz de praticar ações generosas.

3.6) Adapta-te à vida conforme ela se apresenta. Sei que nem tudo quanto desejo se tornará realidade para mim. Muitas coisas que desejo e muitas coisas que me acontecem estão para além do meu controlo. É assim que é a Mãe Terra. É assim que sempre foi e é assim que sempre será.

3.7) Aprende a viver contigo e a gostar de ti. Tenho que aprender a gostar de mim para ser feliz.

3.8) Nunca sejas um perfeccionista. Sou feliz porque não sou obcecado pela perfeição. Insistir na perfeição é insistir no impossível. Se nenhum ser vivo no seio da Mãe Terra experimentou jamais a perfeição absoluta, porque insistimos, eu e os outros, nela? Porque não fazer, pura e simplesmente, o meu melhor? Por que razão não pedir aos outros, o seu melhor? Fazer o meu melhor e esforçar-me o mais possível é tudo quanto posso pedir de mim e dos outros. Tomar consciência e acreditar nesta verdade elementar tornar-me-á feliz. Não pensarei que o sol brilha todos os dias e não me surpreenderei quando as tempestades provocarem uma onda de destruição. Não esperarei pelo que não é previsível.

3.9) Aprende a rir da vida. Só as pessoas se podem rir, nenhum animal possui este dom precioso. Uma dádiva especial. A minha saúde física melhorará assim como o meu bem-estar emocional. O riso afastará os sentimentos negativos da minha vida, o riso far-me-á viver mais tempo. Conhecer o poder do riso é um dos maiores segredos da vida. Não levarei tudo tão a sério porque sei que sou muito mais divertido quando me rio. Tenho de aprender a rir quando as coisas me correm mal. Tenho de aprender a sorrir quando me surgirem problemas.

3.10) Aceita as opiniões dos outros. Há poucas coisas tão importantes como compreender um ente querido, um estranho ou um inimigo e ver o mundo da sua perspetiva. Ao aceitar as opiniões de outra pessoa, tornar-me-ei mais carinhoso, serei mais paciente e generoso. Não serei invejoso, arrogante, orgulhoso nem indelicado. Aceitarei os pontos de vista dos outros e serei feliz.

4- O ASPECTO FÍSICO E ESPIRITUAL DA FELICIDADE
O equilíbrio da vida é extremamente importante. O exercício físico e o cuidado com os alimentos que ingerimos tornam-se fundamentais na conquista da felicidade. Podemos não morrer fisicamente, se não tivermos atenção a estes dois pontos, mas a falta de equílibrio acabará por arruinar alguns dos maiores prazeres da vida. A felicidade depende tanto deste aspecto como depende dos outros. Exercicitar o nosso corpo, purifica a alma e dá-nos a oportunidade de pensar e sonhar. Dedica algum tempo, diariamente, a fazer exercício físico e come e bebe com moderação. Com o tempo acabarás por te conhecer a ti mesmo e a tua vida será equilibrada. O resultado é a descoberta da felicidade.
Procura encontrar, em cada dia, algo de belo. Agradece a Wakantanka (Deus, Buda, etc.) o mundo que Ele criou, sente a sua beleza dentro de ti, vê a beleza à tua volta e, em troca, Ele dar-te-á a paz do coração e a felicidade.

5- A MUDANÇA
A mudança é, algumas vezes, necessária. Se puderes, evita as coisas que te incomodam e altera as coisas que te aborrecem. Se te sentes infeliz, pensa no que te faria feliz e faz as mudanças que se impõem. Como resultado, a tua vida melhorará.
Temos de tomar muitas decisões ao longo da vida, o que implica muitas vezes, uma mudança. As mudanças podem ser difíceis, mas não tenhamos medo delas. Reflectamos no que nos faz infelizes, descobramos o que nos faz felizes e façamos a mudança. Depois, seremos mais felizes.

A felicidade permite sentir esperança nas situações mais negras e paz num mundo de caos. É o sentimento mais belo do mundo e nunca terá de deixar a tua vida! Para sermos felizes só precisamos de querer e de saber como fazê-lo.

E agora, que já sabe como fazê-lo é só começar e praticar 
Boa viagem!

Maria João Alegre – Consultora Comercial & Instrutora

917 027 480

R. Antero de Quental 60

2675-690 Odivelas

Personal 20 Odivelas - R. Antero de Quental 60, 2675-690 Odivelas

Pin It on Pinterest

Share This